RESENHA | VINTE MIL LÉGUAS SUBMARINAS – JULIO VERNE

  • ISBN: 9788537813362
  • Autor: Julio Verne
  • Ano de Lançamento: 2014
  • Número de Páginas: 504
  • Gênero: Aventura / Fantasia / Ficção científica / Literatura Estrangeira / Romance / Ficção
  • Editora: Zahar
  • Classificação:

    ★★★☆☆ (3,5)

  • Compre Aqui: Amazon
  • Sinopse: Resgatados do mar e feitos prisioneiros pelo enigmático capitão Nemo, o professor Aronnax, seu fiel ajudante e o exímio arpoador Ned Land passam a viver a bordo do prodigioso submarino Náutilus.

    Navegando águas remotas, lançando-se em ousadas caminhadas pelo fundo do mar, enfrentando criaturas das profundezas, esses homens viverão emoções conflituosas e descobrirão a exuberância da flora e da fauna marinhas, numa inesquecível viagem por 20 mil léguas submarinas!

Vinte Mil Léguas Submarinas foi publicado em 1870 e escrito por Júlio Verne, um dos precursores da ficção científica. Julio baseou-se na ideia de porque não viajar através dos grandes mares submerso? Acredito que foi Verne quem deu o pontapé inicial para ser criado os submarinos, tudo bem que a ideia não era original, pois já haviam relatos de submarinos antes construídos mas nenhum deu certo como o Nautilus de Verne.

Nemo é o nome do Capitão que comanda o submarino Nautilus, um homem bem misterioso que cortou relações com os homens e a terra firme e agora vive submerso nos mares do mundo vivendo e se alimentando de tudo o que os mares proporciona. Sua grande máquina é movida a energia elétrica, o ponto alto dessa ficção científica! A engenhoca criada por Nemo desafia tudo o que o naturalista e professor Aronnax acredita.

Aronnax e seu criado, Conselho e o arpoador Ned Land acabam naufragando de um navio que estava em busca do grande ”monstro” que causava medo e destruição as tripulações dos navios. Seria mesmo uma grande baleia a causadora de tantos naufrágios? Mas como uma baleia poderia nadar tão rápido pelos oceanos gigantescos? Porque nenhum arpoador conseguia capturar essa ”baleia” monstruosa? Capitão Nemo tem a resposta. 😉

O livro todo é narrado pelo professor Aronnax, um naturalista que amava o mar e teve a sorte (ou azar) de cair nas redes do Nautilus e ter a oportunidade de viajar submerso pelos mares e conhecer tudo aquilo que nenhum homem foi capaz. Achei incrível como Verne descreve as profundezas dos oceanos, as aventuras que os tripulantes do submarino passaram, mas o que me incomodou demais foram as extensas descrições sobre a fauna e flora marinha, pois tudo o que Aronnax via, classificava de acordo com seus estudos científicos e naturalistas. Chegava a ser maçante demais!

Diminui estrela também por conta do final, é um final aberto, do tipo MUITO aberto e eu queria que Verne tivesse me deixado mais respostas. Eu não tenho problemas com finais abertos, desde que as minhas respostas sejam sanadas antes de jogar um mistério no ar no final. E mesmo assim ainda quero ler mais livros do Julio Verne porque achei a escrita fascinante e cheia de aventuras.

 

Começo dizendo que esta resenha será um grande desafio pois E Não Sobrou Nenhum é
Sarah Pleinsworth é uma jovem bem orgulhosa, egoísta e ousada. Nutre um rancor profundo do
Uma Noite Como Esta é o segundo livro do quarteto Smythe-Smith. Daniel Smythe-Smith, irmão de
Cem Anos de Solidão foi, é e continuará sendo um grande e incrível livro! Ganhador
Lady Calpurnia, mas melhor chama-lá de Callie, é uma dama da mais alta sociedade que

Deixe uma resposta