RESENHA | ROMEU E JULIETA – WILLIAM SHAKESPEARE

  • Autor:William Shakespeare
  • Ano de Lançamento:2016
  • Número de Páginas:248
  • ISBN:9788582850404
  • Gênero:Teatro / Tragédia / Drama / Romence / Literatura Estrangeira
  • Editora:Penguin Companhia
  • Classificação:
    ★★★★☆ (4/5 estrelas)
  • Compre Aqui: Amazon
  • Sinopse:Há muito tempo duas famílias banham em sangue as ruas de Verona. Enquanto isso, na penumbra das madrugadas, ardem as brasas de um amor secreto. Romeu, filho dos Montéquio, e Julieta, herdeira dos Capuleto, desafiam a rixa familiar e sonham com um impossível futuro, longe da violência e da loucura. “Romeu e Julieta” é a primeira das grandes tragédias de William Shakespeare, e esta nova tradução de José Francisco Botelho recria com maestria o ritmo ao mesmo tempo frenético e melancólico do texto shakespeariano. Contando também com um excelente ensaio introdutório do especialista Adrian Poole, esta edição traz nova vida a uma das mais emocionantes histórias de amor já contadas.

 

Como a vida pode ser breve mas ao mesmo tempo eterna.

O amor é fumo aceso em ventos suspirantes;
Se satisfeito, brilha — um fogo entre amantes;
Negado, vira um mar de tormentoso pranto.
E o que mais é o amor? Discreta insanidade;
É fel que engasga o peito e é doce amenidade.”

O que um desencontro do destino pode ser capaz de provocar? A maior tragédia de todos os tempos.

Confesso que essa resenha é um tanto difícil de fazer pois as obras de Shakespeare são bem mais do que o nosso superficial enxerga.

Para começar, a linguagem é sem pudor, falam abertamente sobre sexualidade, principalmente os jovens amigos de Romeu, que tive a impressão de serem bem libertinos. E nisso tem um ponto importante a se notar: a Juventude.

Por mais que não seja revelado o motivo do ódio entre as famílias Montéquio e Capuleto, a rivalidade é tão besta e fútil que eu cheguei a ficar entediada! Os jovens não podiam se ver que já queriam sair nos tapas, tudo bem que era costume da época resolver tudo em duelos, mas nossa! Um não podia olhar para o outro que ja queriam sair se estapeando ?

Tanto Romeu quanto Julieta tem muitos pensamentos suicidas. Se uma coisa não vai bem eles logo pensam em se matar ou que um deles morreu. Em partes porque as famílias são rivais e em outras porquê “amam” com fervor, e tem aquele quê de imaturidade. Eles são muito imaturos e por vezes acreditei que se amaram loucamente, mas não consigo deixar de lado o fato de terem se apaixonado a primeira vista, sem nem conversarem direito e no dia seguinte ja fazerem juras de amor, sendo que um dia antes de conhecer Julieta, Romeu morria de amores por outra. Mais uma vez: a Juventude. Acho que o ponto alta dessa peça é a impulsividade da Juventude. Fazemos uma ideia errada da peça devido a grande romantização das mídias mas quando lemos, vemos que não é bem assim, que existe uma critica ali.


Deixo a dica de que se você sabe inglês leia o livro na tradução original. Por se tratar de sonetos, as traduções brasileiras não ficam ao pé da língua e as rimas as vezes não combinam, perdendo a característica verdadeira de Shakespeare, mas se assim como eu você não sabe ler em ingles essa edição não deixa a desejar. Ela é excelente e no final tem notas com explicações das traduções e do significado dos jogos de palavras, o que é ótimo para uma melhor compreensão da estória. Sem falar nos textos de apoio que contém.

O livro mostra como uma paixão avassaladora pode causar destruição. Uma história linda sim, mas com muita mensagem nas entrelinhas!

O proibido é sempre mais instigante e atraente.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

nove + 4 =