ANÁLISE | APLICANDO 1984 DE GEORGE ORWELL NOS DIAS DE HOJE

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

 

 

Quero deixar bem claro que essa análise não tem nenhum embasamento político ou filosófico, foi feita apenas por uma pessoa totalmente leiga nos assuntos em voga, e só fez analogias por meio de sua cabeça que borbulhava enquanto lia, rs. 

Acho que o principal de tudo é que “estamos sendo observados” o tempo todo! Quem nunca conversou sobre alguma coisa e logo em seguida recebeu um patrocinado no celular sobre aquilo que foi conversado em voz alta? Em 1984 as pessoas são observadas a todo momento, mas principalmente pelas “teletelas”, uma espécie de televisão em que passa programações escolhidas pelo governo, além é claro das câmeras espalhadas por todos os cantos. Ou seja, o governo sabe TUDO sobre você, tudo o que vc faz. O que mais me assustou nas minhas analogias é a última nova: o nosso governo está fazendo pesquisa para saber se a população está realmente em casa nessa quarentena, ele SABE onde nós estamos por meio de sinal de satélite que capta nossa localização através do celular. É bizarro perceber que não temos privacidade e que não estamos muito longe da distopia de 1984 nesse quesito. 

O governo de 1984 impõem verdades, impede as pessoas de pensarem por elas mesmas, deixam-nas alienadas de uma forma bizarra até chegar ao ponto delas acreditarem que 2+2 são 5. O governo desperta o ódio nas pessoas e isso me leva a pensar muito nos tempos extremistas em que estamos vivendo onde não se pode mais falar o que pensa – claro com o devido respeito – sem ser julgado e “cancelado” se a outra pessoa não pensar como você. As pessoas hoje em dia perderam a linha entre respeito e liberdade de pensamento, nada diferente de 1984. Um exemplo forte disso são com pessoas populares na internet – num momento todo mundo idolatra, mas é só fazer ou falar uma coisinha fora daquilo que querem ouvir que todos passam a pedir seu cancelamento. Nada diferente do que acontece em 1984. 

Outra analogia é a seguinte: Winston é uma espécie de roteirista, ele trabalha para o ministério da verdade, e tem o cargo de REESCREVER notícias e alterá-las se não estiverem de acordo com o ocorrido, ou previsto, ou seja, ele altera o passado para reescrever o futuro, transforma a mentira em verdade. Já parou pra pensar em como isso é fácil de se fazer nos dias de hoje com um simples Editar ou Apagar Post? Além disso, Winston destrói o passado, apaga histórias, acontecimentos, notícias e verdades da humanidade que não condizem com o regime totalitário do Partido do Grande Irmão. Quem garante que nosso governo não faz algo parecido por meio de fake news, não corrompe dados e notícias a seu favor, não esconde da sociedade as verdades,? É bizarro pensar nisso! 

Pensando na nossa situação atual: Pandemia. Percebemos como a humanidade precisa de socialização. Para a maioria das pessoas está sendo uma tortura ficar em casa, não poder sair e ver os amigos, socializar. Já em 1984 as pessoas perderam essa capacidade, na verdade praticamente foi tirado delas. Só conversam o trivial, não tem relação de amor, é tudo preto no branco. Winston pode ser a prova de que é impossível viver assim. Achei interessante Orwell levantar essa questão a 70 anos atrás e ela permanecer atual, pois nós não somos feitos para vivermos sozinhos e solitários, precisamos de amor, de contato, de carinho. Seria intolerável viver na distopia de 1984. Quem sabe Winston não seria a esperança no mundo distópico de Orwell?  

Dois Minutos de Ódio é a prática realizada pelo Partido onde durante dois minutos é transmitido às teletelas supostas mentiras contadas pelo inimigo do Partido, a oposição, aquele que foi contra as doutrinas ideológicas e foi considerado traidor por pensar diferente, e durante esses dois minutos a população é obrigada a assistir e extravasar sua raiva por meio de gritaria e xingamentos. Nada que não venha sendo aplicado nos dias de hoje, como por exemplo, a “fábrica de fakes news” ou pelo “Gabinete do Ódio”. Se nunca ouviu esses termos por aí, dá uma procurada pois é MUITO importante perante o nosso governo atual. O ódio por meio das redes sociais hoje em dia está cada vez mais frequente, e já citei ele por aqui através da teoria do cancelamento. 

Fico pensando como as pessoas são capazes de repassar informações falsas ou sem embasamento nenhum, por simples alienação? Eu estou cansada de ver isso se repetir nos grupos do “zap-zap”. As pessoas permitem que a ignorância vire força, e o lema de 1984 não está NADA distante do que vemos hoje em dia. Tenta informação distorcida, ataques a crenças ou pior EM NOME de crenças e ideologias políticas, chega a ser absurdo e me mostra que 1984 é palpável, quase ou se não, real. 

E o último detalhe sobre nosso período é que somos oprimidos virtualmente, é imposto a nós ortodoxia de todos os lados, não temos liberdade de qualquer forma. Quantas vezes não deixamos de falar e postar algo com medo de como as pessoas irão interpretar na internet? 

E tudo isso por quê? Porque o homem quer ter o poder acima de tudo, e o poder sempre vai ocupar o lugar da humanidade.

 

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Este post tem um comentário

  1. Avatar
    Andre L Braga

    Excelente análise sobre um excelente livro! 1984 é, sem dúvida alguma, meu livro favorito! Orwell foi didático, mas superficial, em Revolução dos Bichos, mas foi certeiro e visionário em 1984! E como a vida teima em imitar a arte, vemos hoje no mundo uma cópia mal feita da obra de Orwell, mais algumas pitadas de Admirável Mundo Novo e outras distopias. Parabéns pelo post!

Deixe uma resposta

dezessete − cinco =