RESENHA | SÓ OS ANIMAIS SALVAM – CERIDWEN DOVEY

  • ISBN: 9788594540324
  • Autor: Ceridwen Dovey
  • Ano de Lançamento: 2017
  • Número de Páginas: 240
  • Gênero: Fábula, Literatura Estrangeira
  • Editora: DarkSide Books
  • Classificação:

    ★★★★★ + ❤

  • Compre Aqui: Amazon
  • Sinopse: Nós, humanos, nos achamos o máximo. Mas o que temos feito com o nosso mundo? "Só os Animais Salvam" é um livro que tenta responder a essa pergunta de maneira inusitada. Cada um de seus contos é uma fábula moderna, narrada por um bicho diferente, vítima de uma de nossas incontáveis guerras. Em meio ao caos, os animais conseguem encontrar esperança e inspiração numa das atividades mais significativas que nossa espécie já criou: a literatura. Ceridwen Dovey reúne fragmentos e personagens da obra de escritores imortais e nos faz sonhar o sonho dos inocentes. Só os animais salvam.

”O que significa ser humano? Talvez só os animais saibam.’’

Só os Animais Salvam é um livro que ao mesmo tempo que é inocente também sabe ser bem cruel. São contos narrados por animais que passaram por algum conflito, no caso as diversas guerras ocasionada por nós, meros humanos. Contudo, não é um livro em que você verá mortes torturantes, sofrimento declarado, e até mesmo crueldade para com os animais, pelo contrário, é um livro sobre vida e morte, desde o momento que os animais nascem até sua morte. Mas é claro que sofreremos com essas histórias, não é mesmo? Fica tudo subentendido de um jeito tocante.

Cada capítulo, ou melhor conto, vai ser contado pela alma de um animal, sabendo que estes não vivem mais entre nós. Sendo, talvez, um detalhe para dar leveza a história. Todos os animais, como narradores, vão contar sua trajetória por diversas guerras, tanto como coadjuvante dela ou até mesmo participantes, e na maioria delas teremos a menção de diversos ícones da literatura, como Tolstói, Virginia Wolf, Sylvia Plath, entre outros.

O que mais mexe conosco nesse livro é a simplicidade, inocência e lealdade dos animais para com os humanos, no caso seus ‘’mestres’’, mostrando o que o ser humano tem de pior, mas que aos olhos dos animais não passa de respeito, independente de qualquer coisa. O olhar que a autora nos passa de cada animal é o que torna o livro incrível, pois ela consegue dar voz a diferentes tipos de animais e sentimentos, nos transbordando de compaixão e desejando acolhê-los por todo mal que um dia fizemos. Ela retrata o amor, respeito, abandono, medo e diversos outros sentimentos de um jeito que você fica remoendo aquilo pelo resto do dia, pensando em como podemos ser tão insensíveis ao ponto de não perceber ou fazer tal coisa, e o pior, com almas tão inocentes e desprovidas de qualquer merecimento de injustiça, dor e sofrimento!

Eu não consegui escolher um conto em que gostasse mais pois todos são incríveis e nos passam uma mensagem e tanto. Alguns deles são: os olhos de uma gatinha que mostra seu amor e talvez sua decepção por Collete, uma escritora francesa, em trincheiras na Primeira Guerra Mundial, um cão que vivenciou a Segunda Guerra Mundial e o sofrimento causado por ela, um mexilhão buscando uma vida melhor e acabando na ilha de Pearl Harbor em pleno ataque, uma tartaruga que passou pelas mão de Tolstói, George Orwel, Virginia Wolf e foi parar no espaço durante a Guerra Fria como cobaia, golfinhos apaixonados por seus humanos mas que serviram a Marinha Americana, e o mais marcante para mim, um papagaio que viveu em meio a Guerra do Líbano. Olha aí kkkk acabei citando quase todos.

Só os Animais Salvam é um livro inteiramente belo, da capa até a contracapa e claro, no conteúdo. Todos os contos nos fazem refletir sobre a natureza do ser humano, em como podemos ser capazes de coisas tão baixas, como usar um ser inocente em guerras.

O que nós somos? Realmente, Só os Animais serão capazes de saber!

Jé Cerqueira
Criadora do Contudo & Entretanto, sempre navegando em águas misteriosas em busca do Pérola Negra e louca pelo Pequeno Príncipe.
Vai vai, Grifinória!!!

Deixe uma resposta