RESENHA | O SOL É PARA TODOS – HARPER LEE

  • ISBN: 9788503009492
  • Autor: Harper Lee
  • Ano de Lançamento: 2015
  • Número de Páginas: 364
  • Gênero: Clássico / Romance / Drama / Ficção / Literatura Estrangeira
  • Editora: José Olympo
  • Classificação:

    ★★★★★

  • Compre Aqui: Amazon
  • Sinopse: Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça.
    O sol é para todos, com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.
    • Com nova tradução e projeto gráfico, este clássico moderno volta à cena, justamente quando a autora lança uma continuação dele, causando euforia no mercado.
    • Desde o anúncio de sua sequência, O sol é para todos é um dos livros mais buscados e acessados no site do Grupo Editorial Record.
    • Já vendeu mais de 30 milhões de cópias nos Estados Unidos e, no último ano, ganhou a recomendação do presidente Barack Obama, que proferiu o seguinte elogio: “Este é o melhor livro contra todas as formas de racismo”.
    • Vencedor do Prêmio Pulitzer.
    • Escolhido pelo Library Journal o melhor romance do século XX.
    • Eleito pelos leitores de Modern Library um dos 100 melhores romances em língua inglesa.
    • Filme homônimo venceu o Oscar de melhor roteiro adaptado.

Eu queria que você visse o que é realmente coragem, em vez de pensar que coragem é um homem com uma arma na mão. Coragem é quando você sabe que está derrotado antes mesmo de começar, mas começa assim mesmo, e vai até o fim, apesar de tudo.”

Resenha de O Sol É Para Todos, um clássico escrito por Harper Lee, um livro sobre o preconceito racial nos anos de 1930 nos Estados Unidos.

Tudo vai ser narrado pelo ponto de vista da Scout, uma garotinha com uma personalidade extremamente forte, de mais ou menos 6 anos que ao passar da história vai ficando mais velha. Ela vai nos contar basicamente a história de sua família (pai e irmão) e infância em meados de 1935. Suas aventuras com Jem (seu irmão) e Dill (um amigo) vão nos dar muitas alegrias e nos deixar curiosos também, o que dá um toque leve ao livro.

Atticus, que é o pai de Scout, e advogado, recebe um caso bem complicado, ele precisa defender um homem negro que é acusado por ter estuprado uma mulher. O que é mais importante, é que é a acusação de um homem BRANCO contra a de um NEGRO e só, mostrando como naquela época as pessoas eram preconceituosas e racistas. A sociedade nesse livro é tão hipócrita e mesquinha, onde um sobrenome determinava o caráter e moral de uma pessoa.

Achei a relação das crianças com o pai tão bonita, percebi muito respeito e admiração por parte das crianças. O Pai nunca precisou bater neles, o que eu imagino que fosse raro para a época. E é muito bonito a forma que o pai lida com os pesares e ensina aos filhos como lidar também.

O livro é super lindo e nos trás muitos ensinamentos, e é extremamente contemporâneo, mesmo se passando na decada de 30, pois ainda vemos muito das coisas que a Harper Lee nos mostrou, nos dias de hoje.

Quando crescer, todos os dias você verá brancos ludibriando negros, mas deixe-me dizer uma coisa, e nunca se esqueça disso: sempre que um branco trata um negro desta forma, não importa quem seja ele, o seu grau de riqueza ou a linhagem de sua família, esse homem branco é lixo.”

Jé Cerqueira
Criadora do Contudo & Entretanto, sempre navegando em águas misteriosas em busca do Pérola Negra e louca pelo Pequeno Príncipe.
Vai vai, Grifinória!!!

Deixe uma resposta